3 armadilhas da bagunça

Recentemente, num encontro com executivas do qual participei, muitas delas relataram estar se sentindo extremamente infelizes com a desordem de suas casas. Algumas delas, porém, me surpreenderam contando que participaram, nos últimos dois anos, de workshops sobre organização do lar.

No entanto, nenhuma havia conseguido colocar a casa em ordem. Questionei o porquê. Elas não sabiam dizer com certeza. Há, no entanto, diversos equívocos que fazem com que alguém inteligente, disposto e bem informado sobre organização doméstica não consiga colocar as técnicas em práticas.

Abaixo listo as 3 principais armadilhas da bagunça. Será que você já foi capturada por alguma delas?

1)    Não saber por onde começar – Esta é a principal causa que faz, até mesmo pessoas sistemáticas e com boa noção de organização, não darem início no processo. Quando a bagunça está espalhada por toda a casa, e não restrita ao roupeiro ou ao depósito da garagem, por exemplo, pode ser custoso decidir por onde começar. Nestes casos, o importante é priorizar um local cuja organização dará benefícios para toda a família e investir toda sua energia nele. De que lugares estou falando? Despensa, cozinha e geladeira são bons exemplos. Assim vai ser mais fácil continuar, acredite!

2)    Começar pelo lugar mais difícil – Muita gente resolve começar pelo local que mais lhe incomoda, o que é extremamente inteligente, claro! Afinal, sempre queremos retirar de nossa vida tudo que nos incomoda. No entanto, se este local estiver desorganizado a ponto de consumir muitos dias – e muita energia! -, vai ser fácil desistir. Imagine uma garagem na qual ninguém entra há pelo menos 3 ou 4 anos… O que tem ali? Teoricamente, pode ter quase tudo. E lidar com esta imensa tarefa pode minar as forças para seguir adiante. Sendo assim, comece por locais que consumirão menos energia e trará benefícios rapidamente.

3)    Querer organizar a casa toda sozinha – Sei que a frase pode parecer dura, mas lembre-se sempre: a bagunça não está nos armários, e sim nas pessoas. Os armários são apenas reflexo dos hábitos das pessoas. Ou seja, se você resolver organizar a casa inteira sozinha, sem a participação de familiares ou de suas funcionárias do lar, pode virar escrava da (própria) organização. Além disso, não permitirá que os novos hábitos sejam assimilados por todos da casa. Consequência: caberá a você – sozinha – manter os armários sempre em ordem. E, no final das contas, a organização se tornará um motivo a mais para você ter menos tempo para si mesma, e não uma forma de se libertar da bagunça. Peça ajuda, sempre! Ensine, sempre! Não seja escrava da organização!