3 erros ao começar organizar a casa

Durante meus cursos de organização residencial, sempre há comentários das alunas e alunos ao final do curso sobre a quantidade de trabalho que terão quando chegarem em casa. Afinal, ao conhecermos as técnicas de organização e o passo-a-passo, é natural que estimemos quanto tempo levaremos para organizar todos os nossos espaços, aprender a desapegar e, principalmente, tentar manter a casa em ordem. E não vamos nos enganar acreditando que não vai dar trabalho. Vai, sim!

Mas será um investimento de tempo [não um gasto!] na mudança para hábitos novos, cujos benefícios serão permanentes. Por isso valem a pena o tempo e o esforço investidos por todos da casa que  participarem do processo, desde as crianças até funcionários domésticos. Afinal, organização é um hábito, um estilo de vida que funciona para todas as idades.  E novos hábitos precisam ser treinados repetidamente para que depois nem lembremos mais de nossa vida sem eles, certo?

No entanto, é muito comum que mesmo conhecendo técnicas de organização, nos sintamos perdidos e sem saber por onde ou como começar.  Afinal, com uma casa toda para organizar e, muitas vezes, pouco tempo disponível, focar no método que dá mais resultados fará a diferença. Abaixo eu listo os 3 erros mais comuns ao organizar a casa e como evitá-los.

  1. Começar pelo ambiente mais trabalhoso – Este é o principal erro. Ficamos tão ansiosas por organizar aquele pedaço da casa que nos tira as noites de sono e vamos logo começando por ele. No entanto, como geralmente é um local que está desorganizado há bastante tempo, o volume de trabalho é tão grande que não é incomum cansarmos, ficarmos desanimadas e colocarmos a organização de toda a casa a perder. Portanto, para não correr o risco desistir logo no início, comece organizar pelos ambientes mais fáceis e/ ou menos demorados. A despensa, por exemplo, é um ótimo local para começar.
  2. Começar o descarte pelos objetos de maior apego emocional – Na hora de organizar, o primeiro passo é descartar: o que está quebrado e não vale o conserto, o que você não gosta mais, não usa há muito tempo ou o que não representa quem você é hoje. Não importante se vamos organizar  uma garagem ou um armário de quarto. Sempre há alguns itens para serem descartados. O problema é que cada parte da casa pode esconder uma pegadinha no quesito “desapego”. Isso porque quem adora moda, por exemplo, pode ter mais dificuldade em desapegar  de sapatos. Quem adora cozinhar [como eu!] tem mais dificuldade para desfazer de itens de cozinha. Então, sejamos honestas: se começarmos o descarte pelos itens de que mais gostamos, a chance é muito menor de termos sucesso, certo? Então a dica é: comece a desapegar pelos objetos com pouco ou nenhum apego emocional. 
  1. Acreditar que casa organizada é casa impecável – Muita gente me pergunta se minha casa é impecável. E rapidinho eu respondo: “Não, minha casa é organizada e funciona muito bem. Mas não quero ter casa impecável.” E sabe por quê? Porque tenho total convicção de que uma casa impecável deve ter pouco movimento, pouca vida. E, principalmente, estou certa de que não preciso de uma casa impecável. Preciso de organização na vida e em casa, mas não de um um local em que nada sai do lugar. E se pensarmos bem, casa organizada não é aquela em que tudo está sempre guardado no lugar, mas aquela na qual os objetos tem um lugar para ficar. Na minha casa tudo tem seu lugar e encontramos facilmente o que precisamos. Mas de jeito nenhum vou cobrar de ninguém – nem de mim mesma – que tudo esteja lá o tempo todo. Afinal, sempre há uma roupa, um copo ou brinquedo fora do armário, porque está sendo usado. Mas como tudo tem seu lugar, é fácil devolver no armário certo, seja brinquedo, copo, documentos ou roupas. Então, anota aí: casa organizada não é aquela em que tudo está no lugar o tempo todo. É uma casa em que cada coisa tem seu lugar.

Vamos relaxar e colocar a casa em ordem, então?

Instagram @ingridlisboa.homeorganizer